1,5 milhões de trabalhadores prejudicados pela greve dos rodoviários



Rodoviários entram em greve, deixando quem precisa de transporte à mercê da própria sorte na região metropolitana de Belém nesta quinta-feira.


Belém, Ananideua e Marituba amanhecerem sem ônibus por conta da greve por aumento de salários, os motoristas de transporte públicos cruzaram os braços nas 00:00h desta quinta-feira, 27.

Depois de uma longa reunião na tarde da última quarta-feira, 26, dos sindicatos dos rodoviários de Belém e a patronal Setransbel, não houve acordo pôr melhorias salariais e condições de trabalho e a greve foi deflagrada por tempo indeterminado.

Milhares de trabalhadores das três cidades estão sem transportes. Mesmo com a determinação do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8), que os rodoviários garantissem a circulação de 80% da frota de ônibus, sob pena de R$150 mil ao dia. Mas não é isso que está acontecendo, empresas como a Viação Forte que tem umas maiores frotas, está totalmente parada.


Que essa greve não arranque do bolso do povo um alimento de passagem em pleno período de pandemia, querer que o povo pague mais por um serviço precário como oferece as empresas, é totalmente desumano. O sindicato das empresas pede um reajuste no valor da passagem para R$5,00, valor totalmente incompatível com a cenário deixado pela covid-19.

44 visualizações0 comentário