8 de março é pra comemorar? Brasil ocupa o 5° lugar no ranking de violência contra a mulher


Foto: teoria e debate

Mais um dia de 8 de março comemorado o dia internacional da mulher, mas ao refletirmos essa data está longe de ser uma comemoração, e sim de reflexão e luta, não dá pra comemorar tanta violência, a estatística para as mulheres é de morte, e o Brasil não sai do 5º lugar no ranking de violência contra a mulher segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).


A violência estar na rua, na escola, nos espaços públicos, mas principalmente em casa, o lar é um espaço em que as mulheres acreditam que serão bem acolhidas, mas o cenário para muitas delas é de violência, meninas se refugiam em casamentos para deixar o cenário que vivem, mas percebem que o ciclo em que cresceu não foi rompido, e com pouco apoio do Estado e da sociedade que as oprimem a cada busca, fica difícil de quebrar o ciclo de gerações inteiras, bisavós, avós e mães.


A violência contra a mulher não reduz exclusivamente a agressão física, existe a violência psicologia que é muito comum e que mantem a mulher oprimida até mesmo na busca de ajuda pelo fato de não perceber, ou quando percebe não tem forças. A violência psicológica é um tipo de violência muito grave, por que ela estar relacionada ao estado psicológico de uma pessoa, e no caso da mulher, reforça muitos pontos em que historicamente a mulher foi reduzida, é comum homens que abusam psicologicamente de uma mulher fazer com que ela se sinta feia e incapaz, até para mantê-la no relacionamento em que está, palavras como ‘’ ninguém vai te querer, você é feia’’ são comuns.


As violências contra as mulheres são muitas, física, psicológica, sexual, patrimonial, e a violência moral. Na tentativa de reduzir a violência contra a mulher, o estado por meio da luta das próprias mulheres aprova leis de proteção, como por exemplo a lei maria da penha. Mas ela é o suficiente? Com certeza não, as mulheres continuam morrendo, pois, a sociedade continua reforçando a cultura patriarcal.


O que é feminicídio?

Feminicídio é o homicídio doloso praticado contra a mulher por “razões da condição de sexo feminino”, ou seja, desprezando, menosprezando, desconsiderando a dignidade da vítima enquanto mulher, como se as pessoas do sexo feminino tivessem menos direitos do que as do sexo masculino.

Em 2021, entre os meses de janeiro a outubro, o Pará registrou 50 casos de feminicídio. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública (Segup). Ainda segundo a Segup, em 2021, 7.255 mulheres foram vítimas de algum crime de violência de gênero. Um aumento de 30%, em relação ao ano passado, que registrou 5.435 casos.

42 visualizações0 comentário