A Coordenadoria da Mulher de Belém lança a I Feira Virtual de Artesanato.


Microempreendedoras e autônomas que trabalhavam em feiras de artesanatos estão tendo que inovar em tempos de Covid-19. Para continuar no mercado, a solução é criar alternativas virtuais que possibilitem o maior acesso à renda através das vendas. São diversos produtos, entre eles pintura, crochê, bijuteria e muitos outros.

A representante da Combel, Lívia Noronha, fala que “com a feira, as artesãs de Belém podem participar expondo seus produtos, tendo por principal intuito dar maior visibilidade, sendo que a artesã não terá gastos de deslocamento e transporte da mercadoria.”

Visando mudar a vida de várias mulheres belenenses para que consigam independência financeira, serão postados na página da própria Coordenadoria alguns cards com o nome, telefone e o trabalho que a artesã desenvolve, tudo para facilitar as vendas. O evento funcionará com uma programação de palestras e oficinas, além de reuniões online para novas parcerias.



Algumas dessas mulheres que terão seus trabalhos expostos são do grupo de risco e assim não poderiam retornar tão cedo para as feiras, que antes faziam parte do seu dia a dia. A pandemia fez com elas aceitassem o desafio de se reinventarem e partir para um ambiente totalmente novo, o tecnológico.

Elas não terão custos para se locomoverem, nem para entregas as mercadorias, tudo isso fica a cargo da equipe da Combel, que montou uma boa estrutura para auxiliar as artesãs.

17 visualizações0 comentário