A era servidor valorizado e respeitado em Belém voltou com Edmilson Prefeito



Merece aplausos a determinação do prefeito Edmilson Rodrigues da capital, que em 5 meses de mandato, olho no olho, sem enganação, abriu negociação com os sindicatos dos servidores públicos, e ontem (27), após três rodadas de negociação já podem comemorar a vitória: o adiamento do aumento da alíquota previdenciária - de 11 para 14% -, uma imposição da maldita reforma do governo Bolsonaro - e receberam o compromisso de aumento no vale-alimentação de mais 100 reais, congelado há 8 anos, que passará a R$ 370 reais em junho, além de um percentual de 3,9% no vencimento-base de todos os funcionários a partir de janeiro de 2022, quando a lei federal 173 (outra maldade de Bolsonaro) permitir que os municípios reajustem salários.


Zenaldo Coutinho, o pior prefeito de Belém de todos os tempos, era um preguiçoso. Não gostava de trabalhar. Era uma pessoa insensível às dores do povo da capital e por 8 anos, 8 longos anos, deixou o navio à deriva, ao sabor de tantas desgraças.


Foi com o funcionalismo público que Zenaldo foi particularmente perverso. Desde 2015 sem dar reajuste, achatando salários e cortando vantagens. Uma tragédia porque servidor mal pago e humilhado não tem como prestar um serviço digno à população.


Foi uma mudança importante. Só mesmo as viúvas do tucanato (e os alucinados apoiadores do presidente genocida torcerão o nariz, mas de despeito ou de vergonha por terem deixado o funcionalismo nessa situação tão precária.


Parabéns a prefeitura que soube negociar mesmo que a intenção de algumas lideranças sindicais fosse de atrapalhar e fazer protestos ou greves sem motivos, já que o prefeito nunca se recusou ao diálogo e partiu do mesmo a proposta de mesa de negociação, que permanecerá discutindo os problemas que essas categorias enfrentam.

58 visualizações0 comentário