Barraqueiros de Outeiro recebem a visita dos agentes de crédito do Banco do Povo


Foto: Agência Belém

A Prefeitura Municipal de Belém por meio do Banco do Povo através do programa de empreendimento dos pequenos empreendedores volta a outeiro na última terça-feira, (08), com a equipe de agentes de crédito para o levantamento socio econômico dos futuros beneficiados, visando os donos das barracas que sofreram impactos com a queda da ponte Enéas Martins que ligava o Distrito de Icoaraci ao Distrito de Outeiro.


A ponte teve um de seus pilares atingidos por uma balsa do dia 17 de janeiro desse ano.


Desde o ocorrido a população começou a sofrer alguns impactos, atingindo diretamente os microempreendedores donos das barracas, e para amenizar os danos econômicos a prefeitura municipal de Belém prestou compromisso com os donos das barracas levando o Banco do Povo e agilizando o processo para reduzir tais impactos.


A equipe visitou os barraqueiros para a fase final da liberação do crédito, e em entrevista a agencia Belém os futuros beneficiados falam do destino da aplicação do dinheiro, visando a melhoria de seus estabelecimentos. “A maioria das barracas de praia está fechada. São poucos clientes e o custo é alto para manter (o negócio). Ficamos numa situação complicada. Eu e a minha filha estamos desempregadas e dependemos desse negócio para sobreviver. Queremos montar um delivery aqui”, relata.


A concessão do credito solidário habilitou em visita cerca de 50 donos de barracas de praia onde serão avaliados pelos documentos, e caso aprovados o credito será liberado. No entanto para receber o benefício, os beneficiados receberão de acordo com os dados de pessoas físicas e jurídica, emprestado da seguinte maneira, poderá chegar a R$ 10 mil para pessoa jurídica e até R$ 5 mil para pessoa física. O empréstimo e o objetivo principal do Banco do Povo estão no incentivo aos pequenos empreendimentos a expandir os negócios a partir da concessão do crédito solidário (microcrédito), por isso os juros mínimos por parcela são de 0,01%, e há carência para começar a pagar.


30 visualizações0 comentário