Belém realiza feira do pescado nesta quarta e quinta-feira santa. Confira os locais


Foto: Agência Pará

A feira do pescado de 2022 será realizada nesta quarta-feira, 13, e quinta-feira, 14, na Aldeia Cabana, no Centur e Parque Shopping. Fique atento para não perder o pescado para o almoço da semana santa.


Pelo terceiro mês consecutivo, o valor da maioria do pescado comercializado nas feiras e mercados municipais de Belém apresentou nova alta de preço. A pesquisa realizada com as 38 espécies mais consumidas pelos belenenses foi apresentada pela Secretaria Municipal de Economia (Secon) e Departamento Intersindical de Pesquisas e Estudo Socioeconômico (Dieese-PA), nesta terça-feira, 12.


Para amenizar o prejuízo no bolso do consumidor, desde o dia 1º de abril até o dia 15 deste mês, vigora em Belém o decreto municipal nº 103.766/2022. Durante a vigência da norma, os compradores do pescado por atacado que desejam transportar o peixe para outros municípios devem solicitar a Guia de Transporte do Pescado (GTP) emitida pela Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Economia (Secon).


Pesquisa - No mês março, as pesquisas da Secon e Dieese/PA identificaram alta nos preços do pescado comercializado nas feiras e mercados municipais, com destaque para a Arraia com alta de 13,64%, seguida do Peixe-Serra 13,10%; Xaréu 12,07%; Surubim 12,06%; Aracu 10,31%; Mapará 10,26%; Bagre 9,58%; Sarda 8,80%; Peixe-Pedra 8,55%; Tainha 7,77%; Pacu 7,47%; Curimatá 7,14%; Pirapema 6,15%; Cação 5,60%; Pescada Amarela 5,22% e Dourada com alta de 4,82%.


Na análise do primeiro trimestre deste ano (janeiro a março/2022), os maiores reajustes de preços ocorreram nas seguintes espécies de pescado: Aracu com alta acumulada de 25,10%, seguida do Peixe-Serra 24,87%; Filhote 23,90%; Arraia 22,38%; Surubim 22,12%; Gurijuba 21,42%; Xaréu 20,75%; Peixe-Pedra 19,05%; Cachorro de Padre 18,22%; Pescada Amarela 17,95%; Pacu 17,87%; Curimatá 17,79%; Bagre 17,10%; Camurim 14,52% e Dourada com alta de 14,01%.


Já no balanço dos últimos 12 meses (março de 2021 a março de 2022), os maiores aumentos de preços identificados pela Secon e Dieese/PA foram verificados nas seguintes espécies: Surubim com alta acumulada de 40,05%, seguido do Peixe-Serra 29,66%; Pirapema 25,71%; Cachorro de Padre 24,24%; Camurim 23,41%, Cação 21,30%; Mapará 18,19%; Peixe-Pedra 17,21%; Curimatá 16,77%; Xaréu 16,41% e Pescada Amarela com alta de 15,08%.


568 visualizações0 comentário