Brasil já contabiliza mais de 200 casos de varíola dos macacos


O Brasil já contabiliza mais de 200 casos da varíola dos macacos, a divulgação dos números foi feita pela agência Brasil, tendo como base o Ministério da Saúde.


O Ministério da Saúde registra 218 casos confirmados da doença, enquanto a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro informa que registrou mais um caso de varíola dos macacos no estado.

Segundo o ministério, São Paulo tem o maior número de casos: 158. Em seguida, aparece o Rio de Janeiro que, de acordo com a Secretaria de Saúde do estado, soma 34 confirmações da doença.


A pasta informa que os outros casos foram registrados nos estados de Minas Gerais (14), Paraná (três), Rio Grande do Sul (três), Ceará (dois), Rio Grande do Norte (dois), Goiás (dois) e Distrito Federal (um).


Doença


Varíola dos macacos (Monkeypox) é um vírus que acomete animais e, raramente, os humanos e ocorre em regiões de floresta da África Central e Ocidental. Porém, de acordo com o centro de pesquisa biológica Instituto Butantan, os casos relatados em continentes em diversos continentes no mundo, podem indicar uma possível transmissão comunitária do vírus, não tendo relação com as regiões africanas.

As pessoas acometidas pela doença apresentam lesões pelo corpo, como coceiras doloridas que podem ser semelhantes à catapora. Além disso, os sintomas podem incluir febre, dor de cabeça, dor nas costas ou musculares, inflamações nos nódulos linfáticos, calafrios e exaustão. Após a infecção, a doença costuma se manifestar entre 5 e 21 dias.


Transmissão


O contágio da doença, que até o recente surto raramente era vista em outras partes do mundo, ocorre principalmente por contato próximo a uma pessoa infectada com o vírus, podendo entrar no corpo pelo sistema respiratório, olhos, nariz, boca ou por lesões na pele.


A forma de transmissão pode ter sido a mesma que acometeu um brasileiro, de 26 anos, na Alemanha, vindo de Portugal após passar pela Espanha.


Em países como o Reino Unido a vacina contra a doença está sendo oferecida para pessoas de maior risco.


*Com informações de Agência Brasil*

36 visualizações0 comentário