Campanha alerta para a prevenção à hanseníase e ao preconceito

O primeiro teste rápido de hanseníase no mundo anunciado pelo ministério da saúde será aplicado no Brasil

Foto/reprodução

Uma vitória da ciência e para o Sistema Único de Saúde Brasileiro (SUS), o Brasil terá o primeiro teste rápido de hanseníase no mundo anunciado pelo Ministério da Saúde, no mês de conscientização a doença, o janeiro roxo.


No último dia 25, no evento, da campanha de conscientização do janeiro Roxo, o ministro da saúde Queiroga, afirmou que “O teste rápido para o diagnóstico é uma grande conquista, porque temos um sistema de saúde de acesso universal tão abrangente como nosso, o Brasil é o primeiro país do mundo a incorporar esses exames e oferecê-los gratuitamente a nossa população. Que nós possamos fazer o diagnóstico clínico, confirmar através dos exames sorológicos e através de uma terapia adequada, fazer com que os pacientes sejam curados” destacou o ministro da saúde.


Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), em 2019, 2020 e 2021 teve uma queda significativa, em 2019 registrou-se 27,8 mil pacientes notificados, porém em 2020 uma queda de 35%, uma redução de 17,9 mil casos, em 2021 a redução foi de 15,1 mil novos casos, 45% a manos que em 2019.


O tratamento da doença é feito pelo próprio SUS, e agora com teste rápido. É importante que assim que a pessoa identifique os sintomas procure um médico, pois a doença tem cura e quanto antes o tratamento for feito, melhor se dá a recuperação e menos chances de o paciente ficar com sequelas.


Nos dias 29 e 30 de janeiro comemorou-se o Dia Mundial em Combate a Hanseníase. É uma data importante porque além de combater a doença ela combate o preconceito que ainda é muito comum quanto a doença. Com isso é importante que se entenda que a hanseníase não é transmitida quando é feito o tratamento, já no início dos medicamentos ela para de ser contagiosa.

12 visualizações0 comentário