Casa Museu Francisco Bolonha reabre para visitações em Belém


Palacete Bolonha, em Belém — Foto: Fernando Sette/Agência Belém

A Casa Museu Francisco Bolonha é reaberta neste mês de janeiro pela Prefeitura de Belém. Com entrada gratuita, as visitas são todas às terças e quintas-feiras e devem ser agendadas previamente. Os visitantes terão três possibilidades de horários: 9h/ 11h e 15h. Lembre-se de trazer o seu comprovante de vacinação, sua máscara e seu álcool em gel.


Sobre o Palacete Bolonha:


O Palacete Bolonha é um prédio em estilo art noveau, com características clássicas da época do Ciclo da Borracha. Foi idealizado pelo arquiteto Francisco Bolonha em 1905 para presentear sua esposa, a pianista carioca Alice Tem-brink. Além do casal, o Palacete foi residência de pessoas da sociedade paraense e funcionou, inclusive, como sede da Prefeitura de Belém.


A sofisticação desse patrimônio reflete novidades arquitetônicas europeias da época, trazidas para Belém por Bolonha. O arquiteto uniu vários estilos no palacete, adaptando-o às suas necessidades de trabalho. Mesmo desprezando o estilo barroco português, ainda usado na época, Bolonha deu ao palacete certas características do barroco brasileiro em sua estrutura, como o Rococó; usou o decorativismo intenso e fez a cobertura à la mansard, com telhas pintadas propositadamente para dar jogo visual à distância. A influência gótica é observada nas agulhas do teto (influência do fim do século XIX), no porão, grades e revestimentos florais. Aliás, a decoração floral também está presente na entrada, nas salas de banquete e de jantar e no teto dourado – executado na Europa, com molduras de influência grega.


No piso, a decoração ficou por conta dos ladrilhos. Em todo o primeiro andar, predominam elementos ecléticos e neoclássicos, com destaque para o Art Noveau. Já no segundo andar há o banheiro principal, com ferragens inglesas, banheira em mármore neoclássico, piso em mármore branco e preto com pastilhas azul-branco e rosa-branco. Neste segundo piso está também a sala de costura. No terceiro andar há uma capela em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré, transformada em sala de banho por um outro proprietário, sintetiza a “alma religiosa paraense” do arquiteto Francisco Bolonha.


Sobre Francisco Bolonha:


Francisco Bolonha nasceu em Belém, em 22 de outubro de 1872. Iniciou seus estudos na mesma cidade, mas cursou Engenharia na Escola Politécnica, no Rio de Janeiro. Em 1900, visitou a França e foi bastante influenciado pela arquitetura parisiense. O engenheiro foi contratado pela Intendência Municipal (Antônio Lemos) e pelo Governo do Estado (Augusto Montenegro) para construção de obras marcantes na cidade: Mercado de Carne Francisco Bolonha; Bar do Parque; Palacete Júlio Andrade (Gov. José Malcher / com Joaquim Nabuco); Complexo de Fornecimento de Água no Utinga / Lago Bolonha; Prédio do Jornal “Folha do Norte” – hoje “O Liberal”; Reservatório “Paes de Carvalho”, popularmente conhecido como “Três Panelas Vazias” (1º de março com Rua Ó de Almeida, demolida).


Serviço:

Você pode agendar a sua visita pelo WhatsApp através do número (91) 9 8417-5894

60 visualizações0 comentário