Caso Yasmin Macêdo: médico que disparou tiros dentro da lancha é ouvido pela terceira vez


Em mais uma das reviravoltas do caso Yasmin Macêdo, pela terceira vez, o médico legista, Euler Cunha, que disparou diversos tiros dentro da lancha em que a jovem estava, no dia da sua morte, em 12 de dezembro de 2021, é ouvido pela Polícia Civil do Estado do Pará, para prestar novos esclarecimentos aos investigadores da ação.


Euler, confessou estar armado no dia do crime, e que foi o responsável pelos diversos disparos com a arma que estava sob o seu poder, dentro da lancha, onde acontecia a festa. O caso segue em investigação e a Polícia Civil prorrogou o inquérito por mais 30 dias. O documento já possui 400 páginas e ao menos 50 depoimentos foram colhidos.


O corpo da jovem, foi encontrado, na tarde do dia 13 de dezembro pelo corpo de bombeiros. O local onde Yasmin desapareceu, e onde o corpo da vítima foi localizado, ficam distante cerca de 10 minutos da marina, no bairro do Tenoné, em Belém.


Segundo a PC/PA, o inquérito segue sob segredo, e as investigações continuam. Após a conclusão do caso, dentro do prazo estipulado por lei, os responsáveis serão punidos, de acordo com a decisão da justiça.

345 visualizações0 comentário