Casos de estupro de vulneráveis e importunação sexual são registrados contra pastores evangélicos


Pastor Mazinho de Brito / Pastor Dorivaldo Teixeira // Fotos: reprodução redes sociais

O pastor evangélico Aureoma de Brito, que é mais conhecido como “pastor Mazinho de Brito”, foi preso na última sexta-feira (19), sob a acusação de estupro de vulnerável de uma adolescente de 16 anos.


Mazinho de Brito é responsável por uma igreja, localizada na zona rural do município de Breu Branco.


As investigações da polícia apontam que o pastor usou o seu cargo para influenciar os pais da adolescente a deixarem a mesma morar com ele. A desculpa dada por Mazinho era que com a ida da jovem para a sua residência, a moça poderia ter uma carreira promissora como missionaria.


Segundo a família da jovem, quando a vítima chegou a casa do pastor os abusos começaram. A moça passou a viver em cárcere privado, sofrendo diversos abusos tanto sexuais, quanto psicológicos.


A jovem conseguiu fugir da residência do pastor e procurou uma delegacia para denunciar o caso. Mazinho de Brito foi preso, mas passou mal durante a prisão e teve que ser encaminhada para uma unidade de saúde, de onde seguiu para o sistema penitenciário.


Mais casos


No município de Altamira, o pastor Dorivaldo Teixeira é suspeito de cometer crimes de estupro de vulnerável e importunação sexual.


Pelo menos três novas vítimas procuraram os advogados para relatarem que teriam sido vítimas de estupro e importunação de sexual.


As mulheres que têm entre 22 e 28 anos revelaram que os abusos aconteciam quando ainda eram adolescentes dentro da igreja ou durante os retiros onde Dorivaldo Teixeira participava como superintendente da Igreja Quadrangular em Altamira.


As novas denúncias devem ser registradas na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher. Outras três mulheres já haviam denunciado o religioso.



80 visualizações0 comentário