Cerca de 8 macacos foram encontrados sem vida no Bosque Rodrigues Alves


Foto: Reprodução - CNBB

Os animais mortos foram encontrados por um funcionário na manhã da última sexta-feira (3). Sendo quatro pela manhã e mais quatro no decorrer do dia.


O assistente administrativo Moisés Cunha fazia rondas de rotina quando encontrou os corpos.


O Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura de Belém e a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) foram acionados para investigar as causas das mortes dos animais.


Segundo a direção do Rodrigues Alves, cerca de 60 macacos vivem no bosque e a morte destes animais deixa um sinal de alerta ligado.


Causas do óbito:


Os corpos dos macacos ainda estão passando por exame de necropsia. Segundo a Juliana Bittencourt, estão sendo analisado os corpos dos quatro primeiros que foram encontrados pela manhã. A suspeita é de febre amarela ou raiva, mas apenas o resultado dos exames pode confirmar.


Os veterinários do Bosque estimam que o laudo, com o resultado da causa das mortes dos macacos, seja divulgado em 20 dias.



Outros sintomas:


Já o diretor do Bosque Rodrigues Alves, Alexandre Mesquita, afirma que também "pode ter sido infecção intestinal, infecções por vírus, fungos, em algum alimento".


Tavison Guimarães, biólogo do Bosque, disse que os macacos estão apresentando lentidão, abatimento no aspecto físico e cada animal está agindo de forma solo, ou seja, se isolando do grupo.


87 visualizações0 comentário