Consórcio Copasa: A “tatuzona” que cava os buracos da Cosanpa


Foto: Reprodução redes sociais

Durante a copa do mundo de 2014, o Brasil escolheu um tatu para ser mascote, animal comum na fauna brasileira é conhecido por cavar imensos buracos por onde passa. Segundo as denúncias da população a Companhia de Saneamento do Pará (COSANPA) parece que gostou da ideia e tem um “tatu” de estimação para fazer buracos por toda a cidade. O Consorcio Copasa-Ello é a empresa que faz as obras da Cosanpa, ou seja, a “tatuzona” da Cosanpa.


Transtornos:


Durantes os últimos meses o Belém Noticias vem recebendo diversas denúncias dos transtornos causados pelas obras da empresa contratada da Cosanpa. Só nos últimos dias, o BN já registou crateras que viraram “piscinas” podendo trazer um risco maior, como a dengue, uma vez que a água fica parada, além dos acidentes que tem gerado prejuízos aos motoristas e pedestres. Constantemente recebemos vídeos de carros caindo em um desses buracos que não tem sinalização, até viatura já caiu no buraco da Cosanpa.


Carla Silva que mora há 10 anos, na Tv. Padre Eutíquio, entre Fernando Guilhon e Timbiras, reclama do buraco que foi aberto no dia 8 de agosto e até o presente momento não foi fechado e nem a obra foi concluída.


Copasa-Ello


O Consórcio Copasa-Ello, empresa de São Paulo, foi contratada pela Companhia de Saneamento do Pará para fazer a manutenção e trocas de alguns tubos da rede de saneamento e esgoto da capital e de outras cidades. O Consorcio é formada por duas empresas a Ello Servicos, Obras E Participações Ltda e Copasa Construtora S.A. Nossa redação apurou e descobriu que no ano passado, durante a gestão do ex-Prefeito Zenaldo Coutinho, a Ello Servicos, Obras E Participacoes Ltda, ganhou o direito de cuidar da iluminação pública da capital, mas o que vemos é temos recebido também muita denúncia é que a cidade vive “escura”, o que mostra a falta de compromisso da empresa que não cumpri com o seu papel o qual recebe muito bem para isso. O valor base estimado do contrato era de R$ 458,5 milhões, a partir de uma remuneração máxima mensal para a concessionária de cerca de R$ 3,3 milhões. A concessão tem validade de 13 anos, período em que devem ser investidos R$ 161 milhões em melhorias do sistema.


Prefeitura x Cosanpa:


Segundo a Secretaria de Saneamento de Belém, Ivanise Gasparim, Prefeitura e Cosanpa firmaram uma parceria em um primeiro momento par que os serviços fossem feitos em conjunto. No entanto, a Cosanpa não passou seu cronograma, assim criando um impasse para que fosse solucionado o problema.


Foto: Reprodução Redes sociais/ Ivanise Gasparim

Cosanpa não responde!


Até o presente momento a Cosanpa se limita a falar dos problemas e continuas sem responder e-mails ou dar qualquer retorno sobre o assunto.


Será que essas empresas que vem de fora do Brasil tem esse mesmo comportamento e trabalho desorganizado lá fora em seu País?


Governo do Estado que não fiscaliza e faz vista grossa?


O BN aguarda respostas para que seja repassada a população paraense.


135 visualizações0 comentário