Criticada por atletas e apoiada pelos clubes, mudança na Lei Pelé é aprovada na Câmara


(Fernando Torres/CBF/Agência Brasil)

A Câmara dos Deputados aprovou uma mudança na Lei Pelé e a Lei Geral do Esporte nesta quarta-feira (06). A alteração do Projeto de Lei 1153/2019, que teve vitória tranquila por 398 votos a 13 no Plenário, está causando um mal-estar entre clube e atletas.


Segundo o 'UOL', os jogadores alegam que a mudança na Lei Pelé vai mexer em direitos trabalhistas dos atletas, que se sentirão mais 'vulneráveis'. Os clubes, no entanto, escreveram nas publicações que a proposta 'não retira nenhum direito trabalhista'.


No texto apresentado pelo deputado Felipe Carreras (PSB-PE), há uma diminuição na multa que o atleta profissional tem direito como indenização no caso de rescisão por falta de pagamento do salário, por rescisão indireta ou dispensa imotivada. O valor mínimo é equivalente aos salários até o fim do vínculo. A mudança na Lei pode reduzir esse valor para 50%.


O Remo manifestou nas redes sociais apoio a nova Lei Pelé, no entanto, o clube recebeu uma dura crítica do atacante Rodrigo Pimpão, que é contrário ao PL.


Foto: Reprodução - Redes Sociais

Além de Rodrigo Pimpão, o lateral esquerdo Renan Castro e o atacante Netto, ambos do Remo, se manifestaram contrários ao novo projeto.


Através das redes socias, o Ceará também manifestou apoio a uma mudança na Lei Pelé. Contudo, a postura do clube não foi apoiada pelo elenco, que respondeu a publicação do Vozão com a hashtag #naopoiamos.



Foto: Reprodução - Redes Sociais

25 visualizações0 comentário