Desabrigados em Marabá: São mais de quatro mil famílias atingidas com as cheias dos rios


Foto/reprodução



As cheias dos rios em Marabá, nordeste do Estado, que já atingem mais de quatro mil famílias, e em meio a tantos transtornos, tem a pandemia. Os desabrigados agora estão sendo testados para covid-19, também recebem outros serviços da saúde, mais o setor de emissão de documentos.


Mais de 50 famílias moram em abrigos construídos na orla de Marabá, porém, com o aumento do volume das águas dos rios, a enchente tem preocupado e afetado mais uma vez essas pessoas que já estão desabrigadas, os barracos tem sido invadidos pela água.


A cheia dos rios tem facilitado o aparecimento de animais silvestres, um vídeo que está circulando nas redes, mostra uma sucuri atacando um idoso que foi salvo por moradores. O nível do rio Tocantins está menor, porém ainda próximo dos 13 metros. Ruas continuam completamente alagadas. Apesar do recuo do nível do rio, a Defesa Civil recomenda que as pessoas ainda não retornem para casa devido à conhecida situação de repique, característica do Tocantins por aqui, que é quando o rio volta a subir.


Ao todo são 738 famílias morando em abrigos. De acordo com a prefeitura, 21 abrigos já foram construídos em toda cidade. Segundo a Defesa civil da Cidade, Cerca de 789 unidades familiares recebem auxílios nos abrigos, 2.424 desalojadas, 465 famílias ribeirinhas e 618 ilhadas.


Para ajudar as famílias desabrigadas


Para ajudar as famílias com doações, os pontos oficiais da Prefeitura para arrecadação funcionam na sede da SEASPAC, que fica na Travessa da Fonte, bairro Amapá, Marabá – em frente ao CAP e ao lado do Ministério Público Estadual, e na sede da Defesa Civil Municipal, que está em novo endereço, na Rua 7 de Junho, nº 1020, Marabá Pioneira. A arrecadação funciona das 8 às 16 horas. Os itens prioritários são alimentos não-perecíveis, itens de higiene pessoal, roupas e artigos de cama, mesa e banho.

21 visualizações0 comentário