Dia Mundial da Água: precisamos agir agora


Foto: Reprodução - Google

Intensificação do impacto das mudanças climáticas, aumento da produção agrícola e industrial, crescimento demográfico e adiamento na tomada de decisões urgentes por autoridades. Segundo a Organização das Nações Unidas, estes são os principais fatores que explicam por que a água está extremamente ameaçada. Anualmente, desde a Conferência Rio-92, o dia 22 de março é a data em que os holofotes do mundo se voltam para enfatizar a importância da água para a sobrevivência e a necessidade de preservar esse recurso escasso.


Embora 70% da superfície da terra seja coberta por água, menos de 3% desta enorme quantidade de H₂O é doce - e cerca de 2% dela está em geleiras. Ou seja, o mundo tem menos de 1% de água disponível para consumo, conteúdo localizado em lagos, rios e debaixo dos nossos pés. De acordo com o Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos de 2021, 30% dos maiores sistemas de águas subterrâneas do mundo estão em esgotamento causado, principalmente, pela captação de água para irrigação.


Um estudo inédito publicado no ano passado pelo Instituto Trata Brasil, elaborado a partir de dados públicos do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), comprovou que o país desperdiça 39,2% da água potável captada, quantidade que seria suficiente para abastecer cerca de 63 milhões de brasileiros por ano. Atenta a dados como estes, a ONU escolheu o tema ‘Águas Subterrâneas: Tornando o Invisível Visível’ para a campanha do Dia Mundial da Água 2022.


Água Potável disponível no mundo


* Congelada 77%

*Subterrânea 22%

* Lagos e rios 1%

(Fonte: WWF)



Os recursos hídricos subterrâneos ajudam a sustentar o abastecimento doméstico, os sistemas de saneamento, os ecossistemas, a agricultura e a indústria. No entanto, a poluição tem colocado em risco cada vez maior essa água 'invisível'. Embora seja essencial o consumo individual consciente - por meio de atitudes como redução do tempo dos banhos, atenção a vazamentos e reutilização da água da máquina de lavar para limpeza de áreas externas -, o maior consumo e, por consequência, o maior desperdício desse recurso essencial são promovidos pela agricultura, setor responsável por 69% das retiradas de água no mundo, proporção que pode alcançar 95% em alguns países em desenvolvimento. A indústria é responsável por 19% do uso, enquanto os municípios são responsáveis pelos 12% restantes.


Sistemas obsoletos e falta de manutenção de equipamentos estão entre as principais causas de vazamentos. O Trata Brasil também pontua a necessidade de maior eficiência nos sistemas de saneamento e do combate incisivo a furtos de água. A poluição é outro fator que aumenta a gravidade do problema - e a população pode colaborar denunciando indústrias que despejam seus dejetos de forma inadequada e criminosa.

12 visualizações0 comentário