Edmilson Rodrigues sanciona lei de abono salarial para trabalhadores da educação


Imagem: Reprodução Agência Belém.

Desde o dia 6 de dezembro o prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL), anunciou a concessão de abono salarial de nove mil e oitocentos reais aos trabalhadores e trabalhadoras da educação lotados na Secretaria Municipal de Educação (Semec). O executivo encaminhou para a Câmara Municipal de Belém (CMB) o PL 9.718 e por unanimidade foi aprovado pelos vereadores nos turnos de votação na casa.


Na manhã desta terça-feira,21, em ato simbólico o prefeito de Belém sancinou a lei do abono salarial de quase dez mil reais aos servidores da educação de Belém.


Prefeito de Belém ao lado da diretora geral da SEMEC, Araceli lemos, e dos vereadores Igor Andrade e Nazaré Lima na assinatura da lei do abono salarial. Reprodução.

O pagamento alcançará profissionais de educação municipal concursados e temporários, entre professores, merendeiras, porteiros e outros que atuam na rede de ensino municipal e será proporcional ao tempo de serviço no ano de 2021. Para quem está na rede desde janeiro, o valor previsto a ser repassado é de R$ 9 mil e oitocentos reais. Já servidores da educação que ingressaram na rede depois do início do ano receberão o valor correspondente ao tempo de serviço prestado no ano.


Valorização por meio de reajustes:


De acordo com a prefeitura de Belém, o abono do Fundeb e as propostas de reajuste salarial e do vale-alimentação para o ano de 2022, apresentados em mesa de negociação permanente, fazem parte da política anunciada pela atual gestão de valorização do funcionalismo.


A partir de 2022, será garantido um reajuste de 9,33% na remuneração dos servidores municipais, assim distribuídos: 5% mais abono de R$ 100 em janeiro; 4,13% mais abono de R$100 em outubro aos servidores que recebem até R$1.200 de salário-base; e um aumento de 37% no vale-alimentação.


64 visualizações0 comentário