Em 2022 eleições devem impulsionar valor da gasolina


Os preços nas bombas em patamar inédito - Imagem: Diones Alves/Reprodução.

Prepare o bolso: o preço da gasolina deve continuar subindo em 2022, segundo os especialistas. Para Adriano Pires, economista e sócio-fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), a volatilidade dos mercados em ano de eleição deve incidir numa maior valorização do dólar frente ao real. O câmbio, como se sabe, é um instrumento essencial na equação dos combustíveis, pois o petróleo é comercializado internacionalmente pela moeda americana. A commodity, por sua vez, também deve continua em ascensão.


Dólar e petróleo são fatores preponderantes para o preço final e devem continuar em ascensão


Adriano Pires, 64 anos, é sócio-fundador e diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). Doutor em Economia Industrial pela Universidade Paris XIII (1987), mestre em Planejamento Energético pela COPPE/UFRJ (1983) e economista formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980)

“O câmbio e o petróleo indicam uma nova subida de preços da gasolina. A cadeia de produção de petróleo foi quebrada e os estoques estão em queda livre, cenário que só deve se equilibrar no segundo semestre de 2023”, indica Pires. “O barril de petróleo ficou na faixa dos 70 dólares em 2021 e deve chegar aos 90 dólares neste ano. Salvo uma nova variante do coronavírus que provoque restrições mundo afora, acredito que 2022 será mais um ano de pressão nos preços”. Em 2021, a inflação da gasolina beirou os 50%, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e de Biocombustíveis (ANP).

13 visualizações0 comentário