Escolas de samba promovem arrastão cultural neste domingo


Foto: Reprodução - Redes Sociais

Uma liga formada por escolas de samba de Belém realiza um grande cortejo cultural neste domingo, 29, na capital paraense.


A programação terá concentração às 9h, na Escadinha da Estação das Docas, de onde partem, a partir das 10h, as escolas Rancho Não Posso Me Amofiná, Quem São Eles, Matinha, Os Colibris, Xodó da Nega e Acadêmicos da Pedreira, com destino a Praça Batista Campos.


O amor pelo carnaval e pela cultura paraense fez com que as seis escolas de samba se unissem em prol da valorização da cultura popular.



Escadinha, local de onde sairá o cortejo. - Foto: Marcos Aleixo


O evento, segundo Jackson Santarém, presidente do Rancho, vai trazer todos os quesitos das escolas de samba, cantores e baterias.

“Além disso, teremos nesse grande cortejo os pássaros juninos, bois e todo o colorido da quadra junina. Será um belo evento pela valorização da nossa cultura e do carnaval”, releva Jackson Santarém, que divide com Waldir Fiock a coordenação do arrastão cultural.


Quem também detalha a programação do evento é Jussara Janahú, diretora social da escola de samba Os Colibris.




“O arrastão cultural vai levar os participantes, acompanhados do Trio Tonhão, até o destino de encerramento do evento. No cortejo vão estar todas as baterias de escolas de samba, apresentação de quesitos, passistas, mestre-sala, porta-bandeira e os brincantes, que escolhem a sua escola do coração para participarem desse grande cortejo cultural”, disse.


Ainda de acordo com Jussara, o evento é também um prelúdio para a grande bienal que haverá na capital paraense, previsto para ocorrer entre os meses de setembro e outubro deste ano.


A bienal será uma amostra de tudo o que está sendo produzido para o carnaval de 2023, com seu samba-enredo, quesitos, baterias a fim de divulgar para a comunidade que haverá carnaval em Belém, trabalhado em cima do enredo preparado para o carnaval deste ano, que não ocorreu.


Arrastão cultural é um evento alusivo ao período do carnaval, que não ocorre em Belém há dois anos, em decorrência da pandemia.


Confirmaram presença no evento deste domingo o prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, e Michel Pinho, presidente da Fundação Cultural do Município (Fumbel)

.

147 visualizações0 comentário