Família procura idoso desaparecido há quase um ano na Grande Belém


Foto: Reprodução

No mês em que completa um ano, o sumiço do metalúrgico José Ribamar Ferreira de Azevedo, 62 anos, ainda é um mistério para a família, que reside no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, região metropolitana de Belém. O idoso desapareceu no dia 28 de junho de 2021, preocupando familiares e a mãe, de 91 anos.


Nossa equipe de reportagem conversou com a irmã de José Ribamar, a doméstica Maria José de Azevedo Neres, a “Zeca”. Ela informou que o idoso, morador do município de Barcarena, no Pará, toma remédio controlado e sofre com uma cegueira, em decorrência de glaucoma, motivo pelo qual passava um tempo em sua residência para fazer tratamento da perda de visão.


Era um domingo, por volta de 11h30, quando dona Zeca saiu para colocar um crédito no celular do irmão dela. Na volta, já não o encontrou em sua casa.


“Imediatamente, demos início às buscas, mas, até hoje, não sabemos o paradeiro dele e muito menos o motivo que o levou fugir do pátio da minha casa, pois ele era muito bem tratado, com muito carinho por todos nós. Ele saiu daqui de sandália, sem camisa e vestido com uma bermuda, portando um celular bem simples e nada mais”, detalhou dona Zeca.

Foto: Reprodução

Após o sumiço de José Ribamar, a família registou boletim de ocorrência nas delegacias de São Brás e no conjunto Júlia Seffer, em Águas Lindas, mas até o momento não há nenhuma informação que leve ao paradeiro do desaparecido.

Dona Zeca, irmã de José Ribamar. / Foto: Belém Notícias

Ajude


A família faz um apelo à sociedade para que quem tiver alguma informação a respeito entre em contato e, por isso, disponibilizou ao Belém Notícias alguns números de telefone: 98988-7704 / 99380-8837 / 98254-3763


Há, também, o Disque Denúncia 181, cuja ligação é gratuita, o atendimento é realizado 24 horas por dia, sete dias por semana, e você não precisa se identificar.

307 visualizações0 comentário