Feirantes de Belém usam as dificuldades da pandemia para se reinventarem



Visando em amenizar os impactos financeiros, os feirantes tem que se reinventar, a tradicional ida a feira para alguns clientes ficou totalmente comprometida, isso porque a covid ainda está bem presente na vida dos belenenses. Eis que o delivery vem pra ficar nas feiras de Belém. Muitos feirantes adotaram esse tipo de serviço para não perderem seus clientes e ganhar novos.


Cartões, panfletos, chamadas em redes sociais, essas foram as formas de atrair os consumidores durantes o período de restrições na capital paraense e na região metropolitana de Belém. As pessoas ligam, pedem, minutos depois elas têm em sua casa o melhor da feira e tudo isso com segurança e mais comodidade. Feirantes afirmaram que se continuassem as aglomerações os prejuízos seriam enormes, pois as restrições durariam mais tempo, fechando mais cedo, também resultaria em mais mercadorias indo para o lixo e um dinheiro que não tem como ao vendedor.


Afim de fiscaliza e orientar, a SECON, realiza diversas ações nas feiras, através de seu departamento de Mercados e Portos (DFMP) Portaria nº03/2021/Secon, que dispõe sobre os protocolos de prevenção ao contágio e disseminação do novo coronavírus.


Preocupados com a situação econômica e visando ajudar os feirantes, a Prefeitura de Belém suspendeu por três meses o pagamento do “preço público”, taxa essa cobrada para quem comercializa algum produto em vias públicas e feiras livres de Belém.

7 visualizações0 comentário