Filme “A Última Floresta” sobre Yanomamis ganha 'Oscar Latino' de melhor documentário, na Espanha


Foto: Divulgação – A Última Floresta

Com um contexto de denúncia dos efeitos negativos da ação de garimpeiros e do desmatamento da floresta, o longa-metragem “A Última Floresta”, do brasileiro Luiz Bolognesi, ganhou o prêmio Platino 2022 de melhor documentário. A cerimônia ocorreu no dia 1º de maio em Madri, na Espanha, no IFEMA Palacio Municipal.


A obra, que teve como atores os próprios indígenas, incorpora a mitologia e os costumes do povo Yanomami, população indígena aldeada na fronteira do Brasil com a Venezuela, e foi coassinada pelo roteirista xamã e ativista Davi Kopenawa Yanomami.


Em sua 9ª edição em 2022, a premiação é dedicada a reconhecer as melhores produções ibero-americanas de 23 países e considerada, pelo próprio diretor do longa, como "O Oscar Latino".


A premiação ocorre em meio ao avanço do garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami, região explorada por garimpeiros há décadas que buscam minérios como ouro e cassiterita, usada na fabricação do estanho. A estimativa é de que 20 mil invasores estejam no território.


Luta e resistência


Conhecido internacionalmente, Davi Kopenawa Yanomami já recebeu o prêmio Right Livelihood Award, mais conhecido "Nobel Alternativo". Além disso, é uma das mais respeitadas lideranças indígenas do país, que luta há 49 anos pelo povo Yanomami e Yekuana.


Premiações


Quem também venceu e levou para casa o prêmio de melhor montagem na edição foi o filme brasileiro "7 Prisioneiros", estrelado por Rodrigo Santoro e dirigido por Germano de Oliveira.

22 visualizações0 comentário