Gasolina alta, “Taokey"? Caminhoneiros fecham rodovias do Pará para defender Bolsonaro


BR-316 - Foto: Nathália Silva

Mesmo com alta nos preços dos combustíveis, cerca de 4 mil caminhoneiros fecharam algumas estradas em vários estados como o de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia, Maranhão, Roraima, São Paulo e Pará.


Pontos fechados no Pará:

BR101 Paragominas KM 12, já está totalmente fechada.

BR316 Capanema - Em frente ao posto Garopa.

BR316 Castanhal - Posto Pombal

BR316 Entrada de Mosqueiro

BR316 Marituba com a Alça Viária

Rodovia PA 483 com 481 no Trevo da Peteca, Vila do Conde.

Posto Mirina no trevo da Alça Viária, com a PA151


Este protesto é autônomo e não tem o apoio dos principais movimentos de caminhoneiros como da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos e da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística). O movimento é pró-governo, dentre suas pautas, estão fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional. Além desses temas, de forma contraditória, há ainda motoristas que aderiram à paralisação que cobram a redução dos impostos e do preço dos combustíveis, responsabilidade do Governo Federal.


A NTC&Logística emitiu uma nota de repudio a paralisação dos motoristas.


“Trata-se de movimento de natureza política e dissociado até mesmo das bandeiras e reivindicações da própria categoria, tanto que não tem o apoio da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos”, diz o texto da associação, assinado pelo presidente da NTC&Logística, Francisco Pelucio.

Há uma certa preocupação com os impactos que esta paralisação pode ocasionar no bolso do brasileiro caso persista e seja aderida por mais caminhoneiros.

80 visualizações0 comentário