Indígenas ocupam sede da BBF em defesa do seu território


A batalha dos Tembé, Quilombolas e pequenos Agricultores contra uma série de irregularidades promovidas pela Brasil Bio Fuels S.A, (BBF), ganhou novos capítulos, na manhã desta quinta-feira (21), no Polo Vera Cruz da Brasil Bio Fuels.


Durante a ocupação, os membros das comunidades tradicionais foram recebidos com tiros disparados pelos seguranças da BBF, além de bombas de efeito moral, como relatou um dos indígenas à redação BN.



Segundo os indígenas, a empresa nunca cumpriu com os acordos anteriores, não iniciou os projetos sociais e vem causando grandes danos para a fauna e à flora, dentro e fora do território. “Os igarapés estão ficando contaminados com os agrotóxicos utilizados na plantação de dendê”. Disse um dos entrevistados.


Além disso, a empresa instalou uma segurança patrimonial ostensiva que vem criando obstáculos ao tráfego dos moradores, além de grandes valas que geram um imenso bloqueio nas estradas, dificultando a locomoção de quem mora dentro e fora do território.


A empresa comandada por Milton Steagall, já responde a dezenas de processos na Justiça, tanto na esfera cível, quanto na criminal, que atua em áreas de comunidades tradicionais, como indígenas e quilombolas, no Pará, sem o devido processo legal de licenciamento para uma empresa do ramo de biodiesel.

58 visualizações0 comentário