Jovem liderança indígena é assassinada após pedir que baixassem som de música de evento






O indígena da etnia Pataxó, Vitor Braz de Souza (Vitor Pataxó), 22 anos, foi morto a tiros, na madrugada desta segunda-feira (14), na localidade de Ponta Grande, em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia.


Segundo informações, Vitor Pataxó, foi morto com um disparo de arma de fogo, após pedir que baixassem o som de um evento que acontecia na terra indigena de seu povo, feita sem autorização, pela prefeitura de Porto Seguro (BA).


Vitor teria ido acompanhado de outras lideranças falar com o responsável da festa, para conversar sobre o barulho da festa, que estava incomodando os moradores da aldeia. Foi neste momento que houve desentendimento e Vitor Pataxó foi baleado no pescoço.


O jovem chegou a ser encaminhado para o Hospital Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.


A Polícia Civil da Bahia afirmou que a motivação e a autoria do crime estão sob investigação. A 1ª DT/Porto Seguro está responsável pela investigação do homicídio de Vitor. De acordo com o registro, o homem foi atingido por um disparo de arma de fogo, em Coroa Vermelha. A motivação e a autoria do crime estão sob apuração”, divulgou em nota.

24 visualizações0 comentário