Laudo da morte de pedreiro desmente a versão de policiais militares


Foto: Reprodução/Rede Social

Lima Neto e sua equipe estão sendo investigados pela morte do pedreiro Antônio Ivanildo Queiroz, de 45 anos, que segundo familiares, foi torturado e morto dentro de sua própria residência, no dia 27, do mês passado por policiais do 24° Batalhão da Polícia Militar.


Lima Neto é afastado do comando do 24º Batalhão, após suspeita de torturar e assassinar pedreiro


Policiais torturam e aterrorizam pedreiro e a sua família


Ontem, 27, quase um mês depois deste crime bárbaro, o resultado do laudo pericial criminal foi divulgado. No laudo constou que Antônio Ivanildo, foi morto por asfixia mecânica, com constrição externa do pescoço, indicando que, além da utilização da sacola plástica para torturar, o pescoço da vítima também foi apertado com muita força. Versão que foi afirmada pelos familiares da vítima.


O resultado desmente a alegação dos Policiais de que o pedreiro foi a óbito devido ao um mal súbito durante a abordagem dentro de sua residência.


Desde o início das investigações, Lima Neto, foi afastado do seu cargo e das ruas. Agora ele só cumpre funções administrativas da PM, no Distrito de Icoaraci.


Caso seja confirmado o crime de tortura seguido de morte, Lima Neto e seus comandados serão presos.

502 visualizações0 comentário