Mais de 35 mil famílias podem se cadastrar para ter até 65% de desconto na energia elétrica



As famílias consideradas de baixa renda terão até esta sexta-feira (1º) para se cadastrar no programa Tarifa Social, que oferece até 65% de desconto na fatura de energia elétrica no Pará. Os cadastros serão feitos por meio do projeto E+ Comunidade, que também realizará a negociação de débitos dos clientes e a troca de lâmpadas antigas por modelos de LED.


A Equatorial Pará afirma que há mais de 35 mil famílias com potencial para receber o benefício nos municípios de Belém, Marituba e Redenção, segundo os dados da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, do Ministério da Cidadania, baseado no número de famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico).


Durante as ações nos municípios, os clientes podem solicitar todos os serviços que a distribuidora oferece. “Nossas equipes estão nos municípios para levar nossos serviços para mais perto dos clientes. Nesta semana estamos focados em cadastrar famílias na Tarifa Social, que oferece até 65% de desconto na conta de energia. Em Belém há 29.575 mil clientes ainda não inscritos que estão aptos a receber o benefício, em Marituba com 3.807 mil e Redenção com 1.895 mil, e é muito importante que essas pessoas nos procurem para realizar o cadastro”, orienta o gerente de Relacionamento com o Cliente, Gilliard Oliveira.


Onde se cadastrar?


  • As ações acontecem no Barracão do Leo, no bairro Paracuri II, em Icoaraci, no período de 28 de março a 01 de abril, de 8h30 às 12h.


  • Em Marituba, na Igreja Assembleia de Deus, no Templo Bella Cittá, de 28 de março a 2 de abril, de 8h30 às 12h e 14h às 17h.


  • Já em Redenção, no sudoeste do Estado, a programação será no Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) da Avenida Brasil, nos dias 29 e 30 de março, de 8h30 às 13h.


Requisitos para ser beneficiário da Tarifa Social


  • Ser inscrito no CadÚnico, com renda familiar de até meio salário mínimo, por pessoa;


  • Ser idoso ou deficiente que recebe o Benefício da Prestação Continuada (BPC) com renda mensal por pessoa, inferior a um quarto do salário mínimo;


  • O beneficiário do NIS precisa estar com o cadastro atualizado nos últimos dois anos;

  • Famílias inscritas no CadÚnico que tenha portador de doença que necessite de aparelhos ligados à energia elétrica de forma continuada, com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos;


  • Famílias indígenas e quilombolas inscritas no Cadastro Único com renda menor ou igual a meio salário mínimo, por pessoa da família ou que possuam, entre seus moradores, algum beneficiário do BPC.

63 visualizações0 comentário