Mais uma catástrofe ambiental em Barcarena


Acidente liberou fumaça tóxica que alcançou diversos bairros de Barcarena

Não bastasse tanto sofrimento e um histórico eivado de inoperância das autoridades responsáveis em punir os autores dos crimes ambientais, eis que mais uma tragédia assola Barcarena.


Após a enorme explosão no depósito da mineradora Imerys na noite desta segunda-feira (06), os moradores da região de Vila do Conde, em Barcarena, sejam obrigados a arcar com as graves consequências da tragédia ambiental.


Os moradores da região, começaram a denunciar, no início da tarde de hoje (07), um possível vazamento de caulim no rio de Barcarena. A água do córrego Rio Dendê está branca e com um forte cheiro de enxofre.


Sintomas de intoxicação por fumaça


Segundo a prefeitura de Barcarena, a Unidade Pronto Atendimento (UPA), da cidade, Ao menos 30 moradores de Vila do Conde em Barcarena, receberam atendimento médico após um incêndio no galpão da mineradora Imerys. Eles inalaram fumaça e apresentaram sintomas leves a moderados de desconforto respiratório. De acordo com a prefeitura, não havia moradores internados.


A Secretaria de Saúde do Município, ainda respondeu que, está preparada para receber os moradores que possam vir precisar de atendimento médico, e que tem contado com o auxílio de profissionais da região vizinha, para dar um andamento maior no atendimento.

Até às 10h30, a empresa, os bombeiros e as Secretarias de saúde municipal e estadual não confirmaram se a fumaça branca com odor de enxofre é prejudicial à saúde.


Protesto


Foto/reprodução

Os populares interditaram a entrada de Barcarena após incêndio em Mineradora, no inicio da tarde de hoje, na entrada da Vila do Conde. O trecho interditado é na PA 151 que dá acesso municípios de Vida do Conde, Abaetetuba e também para a Alça Viária.


O B.N. entrevistou a moradora Amanda Sampaio, de 22 anos, que reside próximo ao local, onde ocorreu a explosão da região, e disse que “não conseguia ter acesso ao local, pois um enorme protesto feito pelos moradores da região, fechou a via de acesso. Eles estão cobrando as devidas atitudes concretas das empresas, e não apenas uma nota de assessoria", disse.


O Advogado Ambientalista, José Carlos Lima, relata que é difícil presenciar em tão pouco tempo, mais um gravíssimo crime contra os moradores que vivem na cidade e os graves danos ao meio ambiente, e continuou que, “há pouco tempo, vimos o vazamento de produtos químicos das balsas que transportam a soja e passam pela região, como também, a morte de mais de cinco mil cabeças de boi, e agora, esse. O que eu vejo, é uma total falta de cobertura e assistência tanto por parte da Prefeitura de Barcarena, quanto das empresas que ali atuam", disse o advogado.


Negligencia: O Depósito da mineradora francesa Imerys explodiu na noite desta segunda-feira (06) em Vila do Conde, no Município de Barcarena. A empresa, que faz a extração de caulim em Barcarena e em Ipixuna do Pará, mais uma vez é manchete no quadro nacional, juntamente com a Vale Hydro Alunorte, pelos diversos escândalos ambientais, que tem ocorrido com bastante frequência, por diversas regiões do país.


Outras Catástrofes em Barcarena


Navio que afundou com 5 mil bois no de 2017

Naufrágio de navio com cinco mil bois vivos em Barcarena

Um navio Haidar, de bandeira libanesa, carregado com quase 5 mil bois vivos, naufragou no porto com 730 mil litros de combustível nos tanques e toda a carga animal presa aos porões.


Até hoje as autoridades não conseguiram retirar o combustível e nem as carcaças de animais, que já vazaram no Rio Pará, se expandindo por cidades e ilhas próximas e ameaçando o abastecimento de água potável da Região Metropolitana de Belém .


Sem falar nos bois em decomposição que, em cerca de 300 cabeças, já foram parar nas praias, causando a interdição de quatro delas, sendo uma do município vizinho de Abaetetuba, e levando a prefeitura de Barcarena a decretar situação de emergência. Pescadores e comerciantes que vivem do movimento das praias estão sem água, comida e impedidos de trabalhar.


O caso do desastre da Hydro Alunorte de 2018


Vazamento de rejeitos da Hydro Alunorte em Barcarena

Os moradores de Barcarena denunciaram ao Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) aquele que viria a ser um dos crimes ambientais de maior repercussão entre os tantos já registrados no município. A população local se viu naquela manhã chuvosa diante do transbordo de Depósito de Resíduos Sólidos (DRS).




66 visualizações0 comentário