Mercado de São Brás 110 anos. Cadê a reforma ROMA?



Um dos mais importantes patrimônios histórico e arquitetônico da cidade de Belém, o Mercado de São Braz, completa hoje 110 anos. E, o prédio vive o abandono e desleixo da gestão de Zenaldo Coutinho que não fez a tão esperada reforma e ainda promoveu uma licitação marcada por irregularidades e polêmicas que facilitou para a empresa ROMA Incorporadora e Administradora de Imóveis LTDA, do grupo ROMA, ganhar a licitação de reforma que até hoje não aconteceu.


Atualizando sobre o Mercado – Hoje, apesar da beleza e da riqueza arquitetônica, artística e cultural, o Mercado de São Brás está abandonado, o ex-prefeito de Belém Zenaldo Coutinho, não fez uma reforma, para que o espaço fosse revitalizado. O que o Tucano fez foi, um processo de licitação fraudulenta que não foi discutido com a sociedade, não houve estudo de impacto de vizinhança, audiência pública e muito menos os trabalhadores informais, que trabalham no local há mais de uma década, foram chamados para dialogar sobre o assunto. A empresa do Grupo Roma venceu a licitação da Prefeitura de Belém no dia 24 de julho de 2020, ainda na gestão do ex-Prefeito Zenaldo Coutinho, para reformar e revitalizar o Mercado de São Brás, mas a reforma ainda não iniciou.



Mercado de São Brás Década de 80


Reforma – A última reforma efetiva no local foi realizada em 1999, na primeira gestão do Prefeito Edmilson Rodrigues. Depois só reparos básicos, na gestão do ex-prefeito Duciomar e parou por ali. E com a Licitação vencida pelo grupo Roma, há uma espera já grande para que o grupo reforme o Mercado de São Braz, nove meses.


A situação de abandono do Mercado de São Brás, entre as dificuldades apontadas está a falta de segurança no espaço e problemas na estrutura do prédio, que estão visíveis nas vidraçarias quebradas, nas paredes com rachaduras e infiltrações.


Os vendedores informais que ali trabalham se sentem desrespeitados com a demora da reforma, porque está interferindo diretamente na sobrevivência das famílias que dependem do comércio de ervas, alimentos, CDs e DVDs, movelaria e artesanato, entre outros produtos e serviços oferecidos no Mercado de São Brás.


Um breve histórico - Projetado pelo arquiteto italiano Filinto Santoro, o Mercado de São Brás possui sua estrutura construída em ferro e mescla elementos do art nouveau e neoclássico, com detalhes escultóricos também em ferro e azulejos decorativos. A construção do mercado começou no dia 1 de maio de 1910 e foi concluído em 21 de maio de 1911. Um dos motivos da sua construção, foi devido à grande movimentação que era gerada pela ferrovia Belém/Bragança, que na época ali ficava uma linha de trem, e esse fluxo de passageiros tornou São Brás uma oportunidade de comercializar produtos de todas as formas, porque a concentração até então, era no Ver-o-Peso. Em 1982, o prédio foi tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal e Estadual.

90 visualizações0 comentário