O papel da Mulher na segurança pública de Belém


Foto: Agência Belém

No Dia Internacional das Mulheres, decidimos abordar a importância do papel feminino nas funcionalidades e nos diferentes cargos que exercem no município de Belém, em especial na segurança pública, que historicamente é uma profissão onde a maioria ainda é comandada pelo sexo masculino, mas graças ao tempo, e aos avanços e lutas por diferentes setores da sociedade, este cenário vem mudando.


A Guarda Municipal de Belém, não é diferente, mas luta há pouco mais de 30 anos em mudar este cenário dentro do quadro da corporação, quando foi realizado o primeiro concurso de ingresso na guarda. Na época, 150 vagas ofertadas 30 foram destinadas ao sexo feminino.


O belíssimo trabalho realizado pelas servidoras da guarda de Belém, é acompanhado pela população dia após dia nas ruas da capital, por meio do trabalho do Grupamento de Ações Táticas (GAT), como também, das Ações Táticas com Cães (ATAC), Ronda da Capital (RONDAC), Ronda Ostensiva Municipal (ROMU) e operacional.


O trabalho das agentes de segurança, são feitos em diferentes áreas, desde as atividades administrativas, ostensiva e táticas, além de ocuparem também os postos de serviço, pilotando as viaturas das guarnições, motos e embarcações.


A atual gestão municipal, empenhada em garantir à segurança das servidoras, criou em março de 2021, o Núcleo de Atenção à Guarda Feminina (NAGF), afim de dar mais atenção às servidoras da instituição, e que foram vítimas de algum tipo de violência, seja física, moral, sexual, psicológica ou patrimonial.


Foto: Agência Belém

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública, lançou a Operação Pró-Mulher Pará, que será lançada hoje (08), e contará com a participação da Guarda Municipal de Belém. Assim, a corporação vai intensificar o patrulhamento, em especial às denúncias envolvendo qualquer tipo de violência doméstica contra mulher, por meio de viatura específica e caracterizada.


Denúncia - A corporação também disponibiliza um canal de denúncia, para qualquer mulher ou pessoas que tiverem conhecimento de violência doméstica. A ligação é gratuita e pode ser feita pelo número 153.

32 visualizações0 comentário