O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que reconhece duas regiões separatistas da Ucrânia


Presidente russo Vladimir Putin // Foto/reprodução

O presidente russo, Vladimir Putin, reconheceu nesta segunda-feira, 21, a independência de Donetsk e Luhansk, regiões separatistas no leste da Ucrânia, em confronto com Kiev desde 2014. A decisão abre caminho para que os combatentes que lutam contra o Exército ucraniano na região requisitem assistência militar russa, o que, em tese, abre caminho para uma operação em território ucraniano.


A decisão irritou os países europeus, principalmente a Alemanha e a França. Antes do discurso, a União Europeia ameaçou a Rússia com sanções caso as regiões separatistas fossem reconhecidas. O presidente francês, Emmanuel Macron, que ontem (20), tentou negociar um encontro entre Putin e o presidente americano, Joe Biden, para amenizar a tensão na região, convocou uma reunião de emergência de seu gabinete.


Além de reconhecer as regiões separatistas, Putin também assinou um tratado de amizade e ajuda mútua com os grupos que são de maioria russa e exigiu um cessar imediato das “operações militares” das forças militares ucranianas.


Durante o pronunciamento, o presidente russo também citou os Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) afirmando que o país tomará medidas de segurança contra ambos, após a Casa Branca e aliança militar não atenderem as reivindicações de Putin sobre segurança na fronteira.

Putin também citou diversos momentos da história da União Soviética e da Ucrânia e complementou que “oligarcas gananciosos dividem a Ucrânia”, com líderes corruptos que “embolsam dinheiro em detrimento do povo”. Ressaltou que, “Vamos começar com o fato de que a Ucrânia moderna foi inteiramente criada pela Rússia, mais precisamente, pelos bolcheviques, a Rússia comunista. Esse processo começou quase imediatamente após a revolução de 1917”, disse.


Ele complementou dizendo que o país do Leste Europeu é uma “marionete dos EUA” e que, junto à Otan, transformaram a Ucrânia em um teatro de guerra.


O Conselho de Segurança Russo se reuniu nesta segunda e discutiu o tema. Putin ouviu integrantes do alto escalão de seu governo discursarem sobre a necessidade de proteger as pessoas de Donbas (onde estão Donetsk e Luhansk), que abrigam cidadãos russos, da ameaça de um choque com forças militares da Ucrânia.


"A situação em Donbas se tornou crítica", disse Putin no pronunciamento.

17 visualizações0 comentário