Pastor chama a vacinação de crianças de "INFANTICÍDIO" mesmo ANVISA aprovando a imunização infantil


Imagem: Reprodução

O pastor Silas malafaia é líder da Igreja assembleia de Deus e um ferrenho apoiador do presidente Jair Bolsonaro postou um vídeo em seu canal do YouTube atacando a decisão de vacinar crianças de 05 a 11 anos no brasil, além de associar a vacinação infantil a assassinato, afirma que não existiram casos suficientes de Covid em crianças a ponto de se necessitar de uma campanha de imunização para este público. 


Depois de 14 horas da postagem negacionista de malafaia, O Twitter removeu as publicações mais recentes do pastor bolsonarista Silas Malafaia, incluindo uma que chamava a vacinação contra a Covid-19 em crianças de “infanticídio”. Mais de 10 publicações de Malafaia aparecem como indisponíveis nesta terça-feira (11) em seu perfil oficial.


Imagem: Print/Reprodução

“Silas Malafaia disse em seu perfil do Twiiter que vacinar as crianças contra a Covid-19 é um INFANTICÍDIO. O pastor, no entanto, omitiu que cerca de 2,5 mil crianças morreram de Covid no Brasil durante a pandemia.


O que diz a ANVISA sobre a vacinação:


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da vacina da Pfizer em crianças no mês de dezembro e há a expectativa da Coronavac ser utilizada com o mesmo fim. A aprovação se deu após análise rigorosa dos técnicos da agência e seguiu os passos de outros países, como Estados Unidos, Canadá e inúmeras nações da União Europeia.


Em 24 de novembro do ano passado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um parecer em que defende a vacinação infantil. “Existem benefícios em vacinar crianças e adolescentes que vão além do direito à saúde. A vacinação diminui a transmissão de Covid nessa faixa etária e pode reduzir a transmissão de crianças e adolescentes para adultos mais velhos, o que pode ajudar a reduzir a necessidade de medidas de mitigação nas escolas”, diz o documento. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) também defende a imunização contra a Covid em crianças de 5 a 11 anos.

46 visualizações0 comentário