Polícia prende suspeitos por mortes e enterros no cemitério clandestino de Ananindeua e líder morre


Foto: O Liberal

A Divisão de Homicídios (DH) da Policia Civil do Pará, deflagrou na manhã de hoje (23), a Operação Tânatos que culminou na prisão e busca e apreensão contra pessoas envolvidas diretamente no caso que ficou conhecido como “Cemitério clandestino''. Durante a ação, Pablo Renato da Silva da Costa, mais conhecido como "Escobar", apontoado como líder da associação criminosa - que atuava na prática das infrações penais e execuções de desafetos - morreu após trocar tiros contra policiais.


A descoberta do local de desova chocou toda a sociedade paraense, são vários crimes cheio de mistérios e que intrigaram o serviço de inteligência da Policia Civil do Pará.


O Governador do Estado, Helder Barbalho, comentou sobre as prisões, através de um post em uma rede social.



No dia 11 deste mês, um cemitério clandestino foi localizado pela Polícia dentro de um terreno particular no bairro Águas Brancas, em Ananindeua, região metropolitana de Belém. Quatro corpos foram encontrados no local. Um dos corpos é do bombeiro Alan Tadeu Neco Vieira, de 26 anos, estava no local, onde também outros três corpos estavam. Todas as vítimas foram mortas a tiros e estavam amarradas com cordas, indicando sinais de tortura.

405 visualizações0 comentário