Prefeitura de Belém, dá início ao ‘Dezembro Vermelho’ com ações que focam no combate ao vírus do HIV


Foto: Antonino Gomes

O Dia Mundial de Combate à Aids é comemorado em 1º de dezembro e tem por função primordial alertar toda a sociedade sobre essa doença. A data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde e é celebrada anualmente desde 1988 no Brasil, um ano após a Assembleia Mundial de Saúde que fixou a data de comemoração. É uma data criada para reforçar a necessidade de conscientização sobre a doença e para prestar solidariedade aos portadores.

Neste sentido, a Prefeitura de Belém, a partir desta quarta-feira (1), a programação começou no Centro de Atenção à Saúde nas Doenças Infecciosas Adquiridas (Casadia) que fica localizada no bairro do Umarizal, em Belém. Em seguida, haverá um atendimento especial alusivo, no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), das 8h às 12h. e das 13h às 17h. Haverá também testagens para as ISTs, triagem para a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e entrega de materiais de prevenção. A ação ocorrerá em 29 Unidades Municipais de Saúde (UMS), em dois horários, das 9h30 às 12h, e, das 14h às 17h, e no shopping Bosque Grão-Pará, das 14h às 18h.


Vale Lembrar, que as ações, na capital paraense, chamam a atenção para a prevenção, à assistência e para a proteção dos direitos das pessoas infectadas com o vírus HIV, e a programação do ‘Dezembro Vermelho’ continuará no domingo (5), com ações de orientação em saúde e entrega de preservativos e material informativo, em festas e espaços da comunidade LGBTQIA +, das 16h às 22h, no Distrito de Outeiro.



A Aids, até o momento, é uma doença que não possui cura, portanto, é necessária uma proteção eficiente contra ela. Ao criar um Dia Mundial de Combate à Aids, o objetivo era chamar a atenção sobre esse problema, desde sua prevenção até seu tratamento, e acabar com o preconceito.


É importante mostrar para a população que não se contrai Aids com um simples aperto de mão ou abraço em um paciente. É importante mostrar também que uma pessoa com o vírus pode relacionar-se e trabalhar normalmente. Além disso, deve-se mostrar que, hoje, a Aids não é uma sentença de morte e que é possível, sim, viver bem com a doença. Porém, também devemos nos preocupar com sua transmissão, uma vez que é uma doença sem cura e que pode afetar a qualidade de vida de uma pessoa.

O dia 1º de dezembro serve, portanto, como um alerta sobre a Aids e como uma forma de repensarmos nossas atitudes com os portadores da doença. Não se trata de um dia exclusivo para informações de saúde, é um dia que também nos remete à compaixão e solidariedade.

44 visualizações0 comentário