Prefeitura de Belém realiza evento reforçando a causa do combate à exploração sexual




Hoje,18 de maio, no Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, e a Prefeitura de Belém realiza o 'Pipaço por direitos!' para reforçar a causa.


Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma), em Belém, de 2009 a 2021, foram abusadas 17.495 menores, com idade entre um ano e 19 anos, os casos, na maioria das vezes, aconteceram dentro de casa, e os principais abusadores foram o pai, padrasto, familiares e amigos. De acordo com os registros das delegacias especializadas neste tipo de atendimento, na capital, foram registrados no ano passado 641 ocorrências de crimes sexuais contra crianças e adolescentes em Belém. Esse ano, entre janeiro e abril, os dados computados somam 209 casos.


Maio é o mês alusivo ao enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes. O crime de violência sexual contra crianças e adolescentes pode ser denunciado em qualquer delegacia de Polícia Civil, ou pelo Dique Denúncia, por meio do número 181 ou 091981159181. A ligação é gratuita e o sigilo é garantido.


Pipaço por direitos



Foto: Mauro Ângelo / Diário do Pará


A Prefeitura Municipal de Belém, promoveu na manhã de hoje, na Aldeia Cabana de Cultura Amazônica David Miguel, no bairro Pedreira, o ‘Pipaço’, que além de marcar combate à exploração e ao abuso sexual de crianças e adolescentes, também celebra o Dia de Luta Antimanicomial e o Dia de Luta contra o Genocídio da Juventude Negra.

O evento organizado pelas secretarias Extraordinária de Cidadania e Direitos Humanos (SecDH) e de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel), é voltado para crianças, jovens negros e pessoas com sofrimento psíquico. Como afirmação do compromisso da defesa de direitos de crianças e adolescentes.


Ação da Policial


E hoje, a polícia Civil do Pará, apreendeu seis adolescentes pela prática de exploração sexual infantil durante uma operação contra esse tipo de crime. Um mandado de busca e apreensão também foi cumprido na capital pela equipe da Divisão de Atendimento ao Adolescentes (Data), que é vinculada à Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV).

83 visualizações0 comentário