Saiba o que é alopecia, condição de Jada que motivou tapa de Smith em Chris Rock

Comediante se dirigiu a Jada fazendo referência ao filme “Até o Limite da Honra”, no qual a atriz Demi Moore interpreta um oficial com os cabelos completamente raspados


Neste último domingo, 27, a noite dos Oscars deu o que falar após o ator Will Smith dar um tapa no comediante Chris Rock, que estava apresentando a premiação.

O motivo do tapa foi uma frase envolvendo a esposa de Smith e seu cabelo raspado. No palco, Chris Rock comparou Jada à personagem G.I. Jane, do filme "Até o limite da honra" de 1997, que tem o cabelo no mesmo estilo porque faz parte da Marinha.


Porém, a atriz Jada Smith raspa o cabelo por conta de uma condição conhecida como alopecia, doença inflamatória que provoca a queda dos fios, e a fala de Rock deixou o marido de Jada irritado.

O que é alopecia, condição de Jada Smith?


A alopecia é a queda de cabelo que pode acontecer de forma transitória ou definitiva, devido à inflamações locais, doenças autoimunes ou genética.


A condição geneticamente determinada é conhecida como alopecia androgenética e pode afetar tanto homem quanto mulheres, deixando os fios de cabelo mais finos.


No caso de Jada Smith, a atriz enfrenta a alopecia areata, causada por uma doença autoimune. O próprio sistema do corpo ataca os folículos capilares, provocando a queda de fios na região central da cabeça e possivelmente em todo o corpo, dependendo do caso.

Alopecia areata


A alopecia areata é uma doença inflamatória que provoca a queda de cabelo. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, diversos fatores estão envolvidos no desenvolvimento, como a genética e a participação autoimune.


As características da condição variam de acordo com cada pessoa. A extensão da perda capilar pode ser maior ou menor para cada paciente. Em casos raros de alopecia areata total, o indivíduo perde todo o cabelo da cabeça. Já na alopecia areata universal, caem os pelos de todo o corpo.


Fatores emocionais, traumas físicos e quadros infecciosos podem desencadear ou agravar o quadro. O sintoma básico é a perda brusca de cabelos, com áreas arredondadas, únicas ou múltiplas, sem demais alterações.


Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, quando os os cabelos nascem novamente podem ser brancos, retornando depois à coloração normal.


O tratamento pode ser realizado com medicamentos como minoxidil, corticoides e antralina, de maneira associadas a tratamentos mais agressivos como sensibilizantes (difenciprona) ou metotrexate. A escolha por cada tipo de intervenção deve ser realizada pelo médico com o objetivo de controlar a doença, reduzir as falhas e evitar o surgimento de novas.


“Medicamentos orais de alguma forma estimulam o fluxo sanguíneo nessa região e também a recuperação do folículo piloso; remédios tópicos, como substâncias anti-inflamatórias ou que acabam interferindo na conversão do hormônio na cabeça, e psicoterapia, tendo em vista que nem sempre tem esse resultado de maneira rápida e satisfatória”, explica Gomes.


Como as causas são desconhecidas, não há formas de prevenir a condição. Embora a doença não seja clinicamente grave, pode afetar o estado emocional, indicando a necessidade de busca por atendimento psicológico.

21 visualizações0 comentário