Sobe para dez o número de mortes por hemorragia de pacientes com síndrome gripal em Cametá


Hospital Regional de Cametá // Foto/reprodução


A Secretaria Municipal de Saúde, da Prefeitura de Cametá, região do Baixo Tocantins, em nota, após 10 óbitos suspeitos no Hospital Regional de Cametá desde o final de dezembro e início de 2022, com características de dengue hemorrágica, H3N2 e COVID-19, esclarece as mortes no município.


De acordo com a nota, juntamente com a Secretaria Estadual de Saúde do Pará (Sespa), a suspeita dos órgãos de saúde é de que essas mortes estejam relacionadas a complicações provocadas pela variante H3N2 do vírus influenza. Após as mortes, foram coletadas amostras de oito vítimas e encaminhadas ao Laboratório Central do Estado (Lacen), em Belém, para análise. A maioria das vítimas são jovens com idade entre 18 e 30 anos.


Ainda de acordo com a Prefeitura, os pacientes vieram a óbito após o quadro evoluir para problemas respiratórios, pneumonia e hemorragia forte pelo nariz. A prefeitura alertou a população para que evite aglomerações.


Na cidade, o Hospital Regional e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) estão ficando lotados, com pacientes em estado grave. E, esses casos resultam do aumento da circulação de pessoas no município no mês de dezembro, que contribui para o aumento dos vírus da Influenza e COVID na região, o que motivou o gestor municipal a suspender por 30 dias os grandes eventos festivos que geram aglomeração de pessoas para frear a disseminação destes vírus respiratórios.


A prefeitura de Cametá, ainda informou que na região amazônica estão fortemente presentes arboviroses e isso tem requerido a ação contínua da vigilância entomológica, em especial nestes casos, devido à necessidade de se estabelecer a causa ou fatores envolvidos no agravamento dos casos, e isso vai resultar em medidas específicas de assistência e vigilância para prevenção de novos casos.


É importante ressaltar que a população para que mantenha as medidas de proteção contra Covid e Influenza, além de atenção quanto à presença de vetores (mosquitos, roedores, etc) em casa, quem não se vacinou procurar se vacinar para COVID, Influenza, Febre Amarela e todas vacinas pendentes, além da procura do serviço de saúde mais próximo em caso de qualquer sintoma febril ou respiratório.




122 visualizações0 comentário